Link Chama Violeta

16:11 Escola Flor da Vida 0 Comments

http://login.meetcheap.com/conference,19590675

Paz e luz
Edgar

0 comentários:

Coloque a Chama Violeta em ação em 9 Passos

17:57 Escola Flor da Vida 0 Comments




1. Reserve um tempo para, a cada dia, fazer chama violeta.
Você pode fazer os decretos de chama violeta em qualquer lugar, a qualquer momento - em seu carro, enquanto cumpre as rotinas diárias ou antes de ir para a cama. Na verdade, simplesmente repetindo um mantra de chama violeta cada vez que você se sente tenso, cansado ou irritado pode fazer a diferença. Mas você obterá os maiores benefícios da chama violeta se você reservar no mínimo qinze minutos por dia para decretar sem interrupção.

É melhor decretar num lugar dedicado ao trabalho espiritual, como uma capela ou um cômodo bem iluminado, limpo e arejado. Pouca luz, poeira, desordem e ar confinado impedem a fluência da energia espiritual.
No seu altar você pode pôr velas, cristais, flores e fotografias de santos, Mestres Ascensos e de seus entes queridos.


2. Comece sua sessão de chama violeta com uma oração.
Antes de começar seus decretos, faça uma oração, ou invocação, pedindo aos Mestres Ascensos, anjos e elementais para virem e ajudá-lo. Os elementais são os espíritos da natureza - do fogo, do ar, da água e da terra - que são responsáveis por cuidar do nosso planeta.

Os elementais que representam o elemento fogo são chamados salamandras; os que representam o elemento ar, sílfides; os que representam o elemento água, ondinas; os que representam o elemento terra, gnomos. Eles ficam muito alegres por poder ajudar-nos a limpar tanto nossas auras como nosso planeta com a chama violeta.


3. Invoque proteção antes de começar a usar a chama violeta.
Os Mestres ensinam que quando você traz mais luz, a escuridão é atraída por ela, como por um magneto. Assim você precisa selar sua aura com a energia protetora branca e azul. Uma das melhores maneiras de fazer isso é invocando o tubo de luz e a proteção do Arcanjo Miguel.

Faça seu decreto do tubo de luz pela manhã e repita-o, se necessário, pelo dia afora. Enquanto você faz o decreto, visualize a deslumbrante luz branca de sua Presença do EU SOU, A Presença de Deus sobre você, formando uma impenetrtável parede de luz à sua volta.
Sua prece ao Arcanjo Miguel pode ser tão simples como "Arcanjo Miguel, ajuda-me! Ajuda-me! Ajuda-me!" Como Arcanjo do primeiro raio, o Arcanjo Miguel corporifica as qualidades da fé, proteção, perfeição e a vontade de Deus. Arcanjo Miguel pessoalmente salvou minha vida uma dúzia de vezes que eu saiba, e, provavelmente, centenas de vezes sem que eu tenha percebido.
Então faça seus decretos com alegria e gosto e saiba que quando você chama o Arcanjo Miguel e suas legiões de anjos, eles estarão imediatamente ao seu lado.


4. Comece seu decreto de chama violeta com um preâmbulo.
O preâmbulo para o decreto é como um convite. Nele amorosamente pedimos ajuda e direção aos seres da chama violeta - Mestres Ascensos e anjos.

Geralmente começamos nossos decretos dizendo: "Em nome da amada, poderosa e vitoriosa Presença de Deus EU SOU em mim, e do meu amado Santo Cristo Pessoal" - e incluímos nossos Mestres e santos favoritos. Nossa conexão com eles é através da nossa Presença do EU SOU e Santo Cristo Pessoal.
A Presença do EU SOU é a nossa permanente e perfeita Presença Divina. O Santo Cristo Pessoal é o nosso Ser Superior e instrutor interno que inicia e guia nossa alma no seu caminho para a união com Deus.
Eis um preâmbulo que você pode usar e acrescentar:
Em nome da minha amada, poderosa e vitoriosa Presença de Deus EU SOU em mim e meu próprio Santo Cristo Pessoal, eu invoco o amado Saint Germain e os anjos do sétimo raio.
Peço que meu chamado seja multiplicado e usado para assistir a todas as almas neste planeta que estejam necessitadas.
Agradeço-vos e aceito que isso se faça nesta hora com pleno poder, de acordo com a vontade de Deus.


5. Faça o decreto devagar, para começar, depois acelere ao fazer mais repetições do decreto.
A primeira vez que você faz um decreto, você vai querer repeti-lo devagar e ponderadamente. Impregne cada palavra com um intenso amor por Deus. Há um grande poder em fazer um decreto devagar. Mas há um poder diferente que vem conforme gradualmente você aumenta a velocidade e o volume do decreto.

Mark Prophet costumava comparar esta aceleração a um trem. Começa com "chug...chug", e logo vai indo "chug-a-chug-a", e então "chug-chug-chug-chug!" Quanto mais depressa vai , maior a ação.
Conforme você aumenta a velocidade dos seus decretos, você vai achar que eles são mais eficazes em elevar sua vibração. O aumento de velocidade não deveria ser artificial. Você deveria senti-lo como natural, o decreto quase que acelera-se por si mesmo.
Se você experimentar qualquer dos tapes Save the World with Violet Flame (Salve o Mundo com Chama Violeta), você ouvirá a maneira correta de aumentar a sua velocidade.


6. Utilize vizualizações para auxiliar seu trabalho espiritual.
A maioria das pessoas não vê a chama violeta em ação com seus olhos físicos. Mas quando você fecha os olhos e se concentra no centro de energia entre as sobrancelhas, você pode algumas vezes "ver" a chama violeta em ação com seu olho interno. Para as pessoas que desenvolveram sua visão espiritual, a chama violeta parece fogo, em cores escalonadas, do índigo escuro e ametista brilhante ao violeta rosado.

Você pode ver essas chamas queimando através dos escombros cármicos. Às vezes, ajuda imaginar esses escombros como nacos de madeira ou nacos de alcatrão desprendendo-se de seu cinturão eletrônico e crepitando na chama. Eles saltam e tombam, e depois desaparecem numa lufada de fumaça branca. Quando você tiver memorizado alguns decretos de chama violeta, você poderá fechar os olhos e tentar as seguintes vizualizações. 


Visualizações: Um Pilar de Chama Violeta Quando você invoca a chama violeta, você pode visualizar-se envolto num pilar de chama violeta de seis pés de diâmetro por nove pés de altura (1,80 e 2,70 m, aproximadamente). Ele pode estender-se desde debaixo dos seus pés até acima do topo da sua cabeça. Veja a chama violeta ganhando vida, como se você estivesse olhando um filme. As chamas erguem-se e pulsam à sua volta em diferentes tons de púrpura, rosa e violeta. Em torno deste pilar de chama violeta, você pode ver o seu tubo de luz, e mesmo um pilar maior de luz branca que protege e sela a chama violeta. Mantenha esta visualização em mente enquanto estiver decretando, e durante todo o dia. Cada vez que pensar nela, estará reforçando esta imagem.


Curando pelas Rodopiantes Esferas de Chama Violeta

Esta visualização pode ajudar a curar seus quatro corpos inferiores. Conforme você faz um decreto de chama violeta, imagine uma grande esfera de luz violeta formada à sua volta. Conforme você acelera o decreto, veja a esfera começando a rodopiar como uma lona rodopiante num parque de diversões. Veja-a rodando mais e mais rápido. Esta visualização incrementa a chama violeta e acelera a vibração de suas células, átomos e elétrons 

A seguir veja esferas menores de chama violeta superpostas a cada orgão do seu corpo. Veja a ação das esferas de chama violeta removendo qualquer escuridão que possa ser a base para doença e consumindo-a instantaneamente. Então veja a chama violeta tornando perfeitos os seus orgãos.

Peça à sua Presença do EU SOU e ao seu Santo Cristo Pessoal e aos anjos da chama violeta para sustentarem estas esferas de chama violeta à sua volta por todo o dia. Reforce seu pedido fazendo periodicamente a visualização das esferas. Faça a experiência com esta visualização e veja como ela faz você sentir-se.


7. Utilize a chama violeta todos os dias.
Um dos melhores momentos para você fazer seus decretos é de manhã cedo. Você vai achar que, se você primeiro de tudo decreta pela manhã, seu dia corre muito mais calmo. Você pode fazer uma requisição específica para a transmutação de qualquer problema, seja mental, emocional ou físico, com que você esteja trabalhando em sua vida. Você pode trabalhar os relacionamento com seus amigos e entes queridos.



8. Use a chama violeta para curar registros de vidas passadas.
Depois de ter feito chama violeta por algum tempo, você pode achar-se lembrando de vidas passadas. Lembrar-se de vidas passadas não é algo para ser feito de maneira irrefletida. Quando você se torna consciente disto, o carma (positivo e negativo) daquela vida vem à superfície.

O carma negativo é como uma caixa de Pandora. Uma vez que a abre, você vai querer arregaçar as mangas, passar seu tempo servindo à vida e fazer chamados aos anjos da chama violeta a cada dia para transmutar os escombros cármicos. Pode levar no mínimo seis meses de concentrados decretos de chama violeta para balancear o carma de uma vida passada. Isto é na verdade uma grande dádiva que nos é dada por Saint Germain.
Conforme você faz chama violeta, quadros de vidas passadas podem vir à sua mente. Você pode ver-se conforme foi em idades há muito passadas. Ou você pode ter apenas a impressão de ter estado num dado lugar ou tempo. Se as lembranças forem penosas - e geralmente o são porque sua alma está clamando por resolução - você pode sentir tristeza ou pesar. Mas você também vai sentir-se libertado porque sabe que, conforme faz decretos de chama violeta, estará transmutando os registros de seu carma passado.
Quando você se torna ciente dessas memórias, não tente suprimi-las. Em vez disso, focalize sua atenção na luz do seu coração. Imagine a memória sendo saturada com chama violeta até que a forma desapareça. Então deixe sair a memória e deixe um brilhante sol branco substituí-la no olho da sua mente.
Você pode querer utilizar a visualização apagadora. Toda vez que vir estas cenas, visualize um apagador gigante, como um apagador de quadro-negro, só que violeta, apagando o quadro. Depois de fazer isso vezes suficientes, a memória deixará de ser penosa e gradualmente se desvanecerá do centro de atenção da sua mente .

Há dois elementos que você está transmutando quando usa chama violeta para lidar com registros cármicos passados. O primeiro é o emocional e a memória anímica do evento que lhe está causando dor. O segundo é a energia cármica que liga você àqueles que você feriu ou àqueles que feriram você.
Eu gosto de chamar isto de "causa, efeito, registro e lembrança" do carma, que inclui toda energia que você amarrou em pensamentos negativos ou sentimentos sobre o passado. Registros de vidas passadas são como arquivos no seu computador. Você precisa apagar os registros e memórias negativos para fazer espaço para o positivo. Conforme você faz isso através da chama violeta, você está libertando a alma para alcançar níveis mais altos de existência.
A Psicoterapia dá a você chaves para entender a si mesmo e fazer melhores escolhas na sua vida. Você pode se resolver com alguém que conhece, pelo fato de ter visto um registro negativo do passado e ter decidido torná-lo positivo nesta vida. Quando você soma decretos de chama violeta e serviços para aqueles que você injustiçou, a ação combinada pode clarear a causa, efeito, registro e lembrança destes incidentes penosos.
E é somente ultrapassando estes registros que você pode clarear o caminho para sua alma receber novas oportunidades. Você pode acelerar o progresso da sua alma nesta vida e assim tornar seu caminho mais rápido para a meta de união com Deus.
Cada vez que você equilibra o carma de uma determinada vida, seu Eu Superior pode revelar-lhe a próxima vida passada que você precisa tentar resolver - e a próxima, e a próxima. É importante não se sentir sobrecarregado pelos registros negativos de uma vida passada. Todos nós cometemos erros no passado ou não estaríamos aqui hoje. Perdoe-se e siga adiante. Seja grato por estar aqui e por ter a oportunidade de apagar estes registros com chama violeta.
Uma vez que tenha começado, mantenha-se a caminho. Um passo começa a trilha de mil milhas. Cada vez que você transmuta os registros de uma vida passada com chama violeta, você ganha um novo sentido da liberação da sua alma. E pouco a pouco você vai constatar que está tomando o comando do destino de sua alma.


9. Expanda o escopo de suas invocações para incluir a limpeza dos escombros cármicos na sua casa, na sua vizinhança e no planeta.
À medida que você pratica direcionar a chama violeta para ajudar os outros, você pode começar a pensar na sua aura como uma fonte de chama violeta onde todos os que você encontra podem vir e beber. Lembre-se de sempre ter chama violeta disponível para alguém que esteja precisando.


Não apenas a chama violeta dissolve seu próprio carma , mas também pode dissolver carma grupal ou planetário advindos de coisas como guerras ou injustiças acumuladas.
As pessoas têm diferentes experiências quando utilizam decretos de chama violeta. Algumas repetem-nos diligentemente por mêses antes que tenham qualquer confirmação de que os decretos estão funcionando. Outros atingem resultados espetaculares já na primeira vez que abrem a boca.

Você pode trabalhar sua rotina de chama violeta com o seu Eu Superior. Você pode acrescentar a chama violeta às suas preces diárias ou meditações, sejam quais forem.

Espero que você venha a conhecer a alegria de se tornar uma das milhares de pessoas por todo o mundo que transformaram suas vidas com este milagroso solvente - a mais alta dádiva de Deus ao universo.




Artigo e fotos do Summit Lighthouse do Brasil

0 comentários:

Áudio - Om Nyorai Reiki Ho - Kuan Yin PART II

19:47 Escola Flor da Vida 0 Comments



Áudio: http://www.4shared.com/music/qhdC3-y5/Om_Nyorai_Reiki_Ho_-_Kuan_Yin_.html?

PARTE: http://www.portalholus.com/2013/03/om-nyorai-reiki-ho-kuan-yin-parte-1.html

0 comentários:

ACEITO, ENTREGO, CONFIO E AGRADEÇO!

19:43 Escola Flor da Vida 0 Comments




Numa entrevista, perguntaram para o Professor Hermógenes (escritor, professor e divulgador brasileiro de Hatha Yoga), hoje com quase 90 anos, qual o segredo para juventude.
Ele, então, respondeu que a fórmula “mágica” era: Entregar, Confiar, Aceitar e Agradecer!
Tão simples e tão difícil de executar!
Pensem nestas palavras e vejam o quão difícil é exercitá-las em nosso dia-a-dia… Vivemos tão cheios de expectativas em relação a nós mesmos e aos outros, buscando resultados a qualquer custo, querendo controlar tudo a nossa volta e, quando nos percebemos, estamos perdidos… Procuramos “remédios” fora de nós mesmos, o que muitas vezes nos causam mais sofrimentos.
Segundo o professor, é nas horas de profundo sofrimento que você alcança a metanóia ( é uma palavra grega que significa “mudar a direção da mente”).
Segue abaixo o texto do Professor Hermógenes para reflexão:
“Envolvidos por uma situação de estresse violento, de desafio alarmante, assaltados pela dor em forma de doença, pelo desemprego, desconforto, quando imersos numa crise que ultrapassa nossas esperanças de solução, é imperioso mobilizar todos nossos talentos, poderes, possibilidades, nossas reservas, para tentar uma saída, uma superação. Depois disso, se ainda nos vemos submetidos, manietados, derrotados, extenuados, vencidos, condenados… que resta fazer?
Para fazer face á situações assim, que me convencem de minha impotência, tenho aplicado, com vitória, uma estratégia que minha longa existência me fez aprender: entrego o problema ou entrego a mim mesmo, confiando na providência divina e, portanto, predisposto a aceitar o que vier como resposta, e, numa prova de amor e fé, agradeço a Deus, antecipadamente, pela resposta que Ele achar melhor, seja qual for. Entrego, confio, aceito e agradeço!
A entrega não chega a ser verdadeira se desejamos uma determinada resposta. Se nos entregarmos totalmente, de imediato a paz nos acaricia. Aí, naturalmente deixamos a batalha com Deus, que tudo pode, para que ele batalhe por nós. O alívio é imediato. Estar entregue a Deus é a mais perfeita condição de ahimsa, de brandura, de sábia imobilidade e, por isso mesmo, a mais eficaz.
Suponho que Deus, que sempre nos quer vivos, sadios, felizes, vitoriosos, se sente homenageado quando Lhe damos a chance de nos socorrer. Ele, que sempre deseja nossa fiel e incondicional confiança, aproveita a entrega e põe a nosso favor Sua onisciência, onipresença, onipotência, e é só o que nos salva. Enquanto, apavorados, estressados, nos debatemos em gestos inócuos, desesperados, imprecisos, violentos e agoniados, ele não encontra condições de assumir nossa batalha; não tem como atuar.
Ter fé em que Deus nos dará isso ou nos livrará daquilo é o que mais se vê. E achamos que agir assim é ter fé. Não é. A verdadeira fé consiste em calar para que Ele fale, em nos render ao que Ele quiser fazer de nós e por nós. Entenda este “seja feita a Vossa vontade” como wuwey, brandura, ahimsa, não-violência, saranagathi.
Se você quiser dar uma chance a Deus para que Ele ganhe a batalha, para que o salve, cure, liberte, ilumine, pacifique, o que tem a fazer é precisamente oferecer-Lhe sua quietude, sua brandura, sua não-violência. Se continuar afobado, como pode Deus atuar?”
Bons ventos lhes sopre o que seu coração precisa para ser feliz!

0 comentários:

Terapia: Tarô Terapêutico: Questões Gerais

02:24 Escola Flor da Vida 2 Comments



Caso queira poderá receber a gravação por email

Inscrições: portalholus@gmail.com (Enviar nome completo, data de nascimento, cidade e estado) Vagas limitadas.

Formas de pagamentos-  PagSeguro - Western Union (solicitar por email) - Cartão de Crédito - Débito On line -Depósito em Conta Corrente: 
Edgar S R M Souza/Ag:3525 C/C 01005966-4 BANCO SANTANDER





Troca energética: R$87,00 (1h a consulta)  - Agendar horário



O Tarô Terapêutico Quântico procura dar as chaves para transformação do ser humano realizando um trabalho holístico nos campos físico, emocional, mental e espiritual. Se você  se senti perdido, buscando uma orientação e autoconhecimento recomendo esta terapia.

Na primeiro parte da consulta é realizado uma avaliação com o pêndulo (a medida, rotação e giro) dos Chakras: Básico, Sacro, Plexo Solar, Cardíaco, Laringeo, Frontal, Coronário, Estrela da Terra e etc, verificando o fluxo energético. Verifica-se o grau de mediunidade, o estado espiritual, o nível de proteção espiritual, se há magia negra ou branca aberta, se existe ataques espirituais ou não, cor do campo áurico, se o individuo esta passando por momento cármico e existência de microchips astrais.

Na segunda parte é aberto uma mandala se verifica as casas do interior e exterior, o espiritual, passado, presente, futuro, relacionamentos amorosos, trabalho, saúde, o social e etc do consulente. Caso uma das casas esteja em conflito influenciará às demais, gerando um conflito no todo. Com a visão de pensamento sistêmico o Tarô Terapêutico Quântico tem o foco de demonstrar as chaves para harmonizar a raiz dos conflitos e transmutá-los.  

Durante a consulta podem ocorrer de surgir mensagens por via telepática e clarividência de entes queridos que s, guia e mentor espiritual, transmitidas para o receptor pelo terapeuta. 



2 comentários:

Terapia: Tarô Terapêutico - Prosperidade

02:23 Escola Flor da Vida 0 Comments


Esta modalidade de Tarô visa auxiliar e demonstrar bloqueios relacionados a prosperidade (física, emocional, mental e espiritual)

Caso queira poderá receber a gravação por email

Inscrições: portalholus@gmail.com (Enviar nome completo, data de nascimento, cidade e estado) Vagas limitadas.

Formas de pagamentos-  PagSeguro - Western Union (solicitar por email) - Cartão de Crédito - Débito On line -Depósito em Conta Corrente: 
Edgar S R M Souza/Ag:3525 C/C 01005966-4 BANCO SANTANDER





Troca energética: R$87,00 (1h a consulta)  - Agendar horário




O Tarô Terapêutico Quântico procura dar as chaves para transformação do ser humano realizando um trabalho holístico nos campos físico, emocional, mental e espiritual. Se você  se senti perdido, buscando uma orientação e autoconhecimento recomendo esta terapia.

Na primeiro parte da consulta é realizado uma avaliação com o pêndulo (a medida, rotação e giro) dos Chakras: Básico, Sacro, Plexo Solar, Cardíaco, Laringeo, Frontal, Coronário, Estrela da Terra e etc, verificando o fluxo energético. Verifica-se o grau de mediunidade, o estado espiritual, o nível de proteção espiritual, se há magia negra ou branca aberta, se existe ataques espirituais ou não, cor do campo áurico, se o individuo esta passando por momento cármico e existência de microchips astrais.

Na segunda parte é aberto uma mandala se verifica as casas do interior e exterior, o espiritual, passado, presente, futuro, relacionamentos amorosos, trabalho, saúde, o social e etc do consulente. Caso uma das casas esteja em conflito influenciará às demais, gerando um conflito no todo. Com a visão de pensamento sistêmico o Tarô Terapêutico Quântico tem o foco de demonstrar as chaves para harmonizar a raiz dos conflitos e transmutá-los.  

Durante a consulta podem ocorrer de surgir mensagens por via telepática e clarividência de entes queridos que s, guia e mentor espiritual, transmitidas para o receptor pelo terapeuta. 

0 comentários:

Terapia: Tarô Terapêutico Venusiano - Amor

02:21 Escola Flor da Vida 0 Comments


Esta modalidade de Tarô utiliza suas combinações astrológicas para encontrar bloqueios emocionais e mentais em temas ligados a relacionamentos amorosos. O Foco da consulta é mostrar os bloqueios inconscientes e como transmutá-los. 

Caso queira poderá receber a gravação por email

Inscrições: portalholus@gmail.com (Enviar nome completo, data de nascimento, cidade e estado) Vagas limitadas.

Formas de pagamentos-  PagSeguro - Western Union (solicitar por email) - Cartão de Crédito - Débito On line -Depósito em Conta Corrente: 
Edgar S R M Souza/Ag:3525 C/C 01005966-4 BANCO SANTANDER





Troca energética: R$87,00 (1h a consulta)  - Agendar horário



O Tarô Terapêutico Quântico procura dar as chaves para transformação do ser humano realizando um trabalho holístico nos campos físico, emocional, mental e espiritual. Se você  se senti perdido, buscando uma orientação e autoconhecimento recomendo esta terapia.

Na primeiro parte da consulta é realizado uma avaliação com o pêndulo (a medida, rotação e giro) dos Chakras: Básico, Sacro, Plexo Solar, Cardíaco, Laringeo, Frontal, Coronário, Estrela da Terra e etc, verificando o fluxo energético. Verifica-se o grau de mediunidade, o estado espiritual, o nível de proteção espiritual, se há magia negra ou branca aberta, se existe ataques espirituais ou não, cor do campo áurico, se o individuo esta passando por momento cármico e existência de microchips astrais.

Na segunda parte é aberto uma mandala se verifica as casas do interior e exterior, o espiritual, passado, presente, futuro, relacionamentos amorosos, trabalho, saúde, o social e etc do consulente. Caso uma das casas esteja em conflito influenciará às demais, gerando um conflito no todo. Com a visão de pensamento sistêmico o Tarô Terapêutico Quântico tem o foco de demonstrar as chaves para harmonizar a raiz dos conflitos e transmutá-los.  

Durante a consulta podem ocorrer de surgir mensagens por via telepática e clarividência de entes queridos que s, guia e mentor espiritual, transmitidas para o receptor pelo terapeuta. 

0 comentários:

A história dos calendários

09:44 Escola Flor da Vida 0 Comments



O que são os calendários?

Os primeiros calendários eram instrumentos destinados a fornecer as indicações astronômicas ou astrológicas (dia e mês). Normalmente eram construídos com dois ou mais discos perfurados e marcados, que ao serem posicionados corretamente entre si forneciam os valores desejados. Atualmente, calendário é um sistema de contagem de tempo relativamente longo (maior que um dia). Os calendários atuais são formados por um conjunto de regras baseadas nas Astronomia e em convenções culturais. O calendário é uma escala que divide o tempo em dias, semanas, meses e anos.


Como surgiram?

Os calendários surgiram com a necessidade do homem de contar o tempo e controlar suas atividades. Surgiram inicialmente para pequenos períodos de tempo (dias e semanas) e posteriormente para programar os plantios e colheitas, determinados pelas estações. Mas a determinação precisa dos dias de início de uma estação e fim da outra só era feita por sacerdotes muito experientes, que tivessem financiamento para construir e manter os observatórios, que eram caros e precários. Normalmente eram os reis que financiavam os sacerdotes, por isso, era difícil para os agricultores do país todo fazer uma determinação de início e fim das estações. A partir dessa necessidade os sacerdotes elaboraram os calendários que eram registros escritos dos dias onde eram marcadas datas de cheias, plantios e colheitas. As estações ocorriam e ocorrem de forma regular a cada 365,25 dias, que é a duração do nosso ano. Então, bastava fazer a contagem correta dos dias e marcar os dias de início e fim das estações como temos hoje (21 de junho início do inverno, 22/23 de setembro início da primavera, 21/22 dezembro início do verão e 21 de março início do outono).

O nosso calendário

A duração exata do ano é 365,242199 dias. Esse não é um número inteiro de dias, ou seja o ano dura: 365 dias + 5 horas + 48 minutos + 47 segundos, que é o tempo para que a Calendários de uma volta completa ao redor do Sol. Por causa da falta de precisão nas observações os antigos arredondavam para 365 dias + 6 horas. Porém se somarmos seis horas a cada ano em quatro anos as estações ficam defasadas um dia. Por isso existe o ano bissexto, ou seja, a cada quatro anos o ano tem 366 dias para que as estações não fiquem defasadas com o passar do tempo. Se não houvesse o ano bissexto em 360 anos o inverno estaria começando no outono, ou seja, o início de todas as estações estaria atrasada 90 dias. Em 720 anos o verão estaria começando no inverno. A sugestão de inserir um dia a mais a cada quatro anos foi feita pelo astrônomo Sosígenes de Alexandria ao imperador Júlio César no ano 46 a.C. e por isso esse calendário passou a ser chamado de "Calendário Juliano" em homenagem ao imperador.

CURIOSIDADE

O calendário atual é mais preciso que o calendário Juliano e considera o ano corretamente, ou seja, 365 dias + 5 horas + 48 minutos + 47 segundos, menor que 365 dias e 6 hora. Como só é possível contar o ano usando dias inteiros, a solução foi ajustar a contagem através da colocação ou retirada de anos bissextos (anos com 366 dias) nos anos que são múltiplos de quatro. Para entender melhor essa contagem vamos transformar o ano correto em frações de dias, ou seja, 365 dias + 1/4 dias - 1/100 dias + 1/400 dias - 1/3300 dias. Dessa maneira basta olhar o denominador e o sinal da fração para saber de quantos em quantos anos o ano bissexto existe ou deixa de existir. Exemplificando, (+1/4) representa que todo ano múltiplo de 4 é ano bissexto, mas (-1/100) representa que todo ano múltiplo de 100 não é bissexto mesmo sendo múltiplo de 4 e (+1/400) representa que todo ano múltiplo de 400 é bissexto mesmo sendo múltiplo de 100. Então o ano 2000 será bissexto, porque é múltiplo de 400, mas o ano 1900 não foi e o ano 2100 também não será bissexto pois são múltiplos de 100. Assim as estações nunca ficam defasadas.

Esse é o calendário mais preciso que existe, é chamado de "Calendário Gregoriano" e é o calendário que nós usamos atualmente. Ele foi adotado em 1582 pelo Papa Gregório XIII, com o objetivo de determinar corretamente a data da Páscoa. Veja que mesmo antes de existir o telescópio as observações astronômicas já eram bastante precisas para conseguir saber a duração exata do ano.

Outros Calendários

Na antigüidade a comunicação entre os povos e principalmente entre os sacerdotes de cada nação era difícil devido a demora no transporte das informações, por isso trocar informações era algo muito demorado para que os calendários fossem os mesmos. Além disso, cada rei queria impor sua autoridade e impunha o calendário que lhe era conveniente. Por essas razões muitos calendários foram criados. Os principais eram:

Calendário Babilônico: o ano não tinha um numero de dias fixo. O ano era dividido em 12 meses lunares de 29 ou 30 dias cada o que somava 354 dias. Para acertar a data das estações do ano os babilônios adicionavam um 13o mês a cada três anos, assim as estações não ficavam muito defasadas com o passar do tempo, mas essa adição do 13º não era muito regular, por causa da dificuldade no transito das informações. Também faziam a divisão do mês em semanas de sete dias.

Calendário Egípcio: é um calendário baseado no movimento solar. O ano tinha 365 dias, divididos em 12 meses de 30 dias que somam 360 dias e mais 5 dias de festas depois da colheita. Eles tinham conhecimento de que o ano tinha 365,25 dias, mas até serem invadidos pelos romanos no século I a.C. eles não faziam a correção de adicionar um dia a mais a cada quatro anos.

Calendário Grego: baseado nos movimentos solares e lunares, seguindo um padrão parecido com o calendário babilônico, porém a intercalação do 13º mês era bem mais bagunçada.

Os índios americanos - Maias, Astecas e Incas - também tinham calendários baseados principalmente no mês lunar.

Hoje em dia temos basicamente três calendários em vigência no mundo.

Um deles é o calendário que nós usamos e que conta os anos a partir do nascimento de Cristo, ou seja, o ano em que Cristo nasceu foi o ano 1.

Os outros são: os calendários muçulmanos e israelitas que não consideram o nascimento de Cristo e por isso apresentam anos diferentes do nosso. O calendário israelita é baseado no babilônico. Uma curiosidade é que o dia desse calendário inicia-se com o por do Sol e não a 0:00h como o nosso calendário. O primeiro dia de cada ano novo não pode cair na quarta, sexta ou domingo. Se isso acontecer o início do ano é transferido para o dia seguinte.

As divisões dos calendários

As unidades básicas dos calendários são os dias. Os dias normalmente são agrupados em porções maiores que formam as semanas e os meses as estações e os anos. Esses agrupamentos ocorrem para facilitar a contagem como fazemos naturalmente com os números. Os seres humanos tinham a necessidade de contar a passagem do tempo e descobriram que a própria natureza se encarregou de fornecer agrupamentos que ajudavam nessa contagem.

As semanas: Existe dois motivos que fizeram os antigos agrupar sete dias para formar uma semana, um deles é baseado nas fases da lua. Se você observou as fases da lua irá perceber que entre o quarto crescente e a lua cheia passam-se sete dias. Vimos que muitos calendários são baseados na lua para formar os agrupamentos.

Outro motivo que deu origem a esse agrupamento de sete dias para formar a semana eram os astros visíveis no céu a olho nu. Na antigüidade podiam ser vistos sete astros no céu e que não eram estrelas; o Sol, a Lua, e cinco planetas: Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno. Por isso, muitos povos deram a cada dia da semana o nome de um desses astros.

Os meses

Sua origem em quase todos os calendários foram as fases lunares. Inicialmente os meses tinham 28 ou 29 dias, mas isso fazia com que o ano tivesse 12,5 meses o que dificultava um agrupamento coerente. Com o passar do tempo a comunicação foi se tornando mais fácil, a veiculação de calendários ficou mais simples e, as dificuldades de dividir o ano em meses foi sendo solucionada aos poucos. Houve então a tendência de uniformizar os calendários. Assim, os meses deixaram de ter exatamente o número de dias das fases lunares para que o ano tivesse sempre 12 meses. A primeira idéia desses ajustes, no número de dias do mês, foi dos egípcios que dividiram o ano em doze meses de trinta dias cada um e mais cinco dias de festas para completar os 365 dias. O mês de fevereiro foi o único a ser preservado para coincidir com o número de dias das quatro fases lunares.

O ano

Sua origem é comum em todos os calendários que é o período necessário para as estações do ano voltarem a se repetir. Essa repetição coincide com uma volta completa da Terra ao redor do Sol.



CURIOSIDADE:

Os Sete dias da Semana e os 'Sete Planetas'

Os dias, nos demais idiomas- com excessão da língua portuguesa , mantém os nomes dos sete corpos celestes
conhecidos desde os babilônios:
. Domingo - dia do Sol
. Segunda - dia da Lua.
. Terça - dia de Marte
Quarta - dia de Mercúrio
Quinta - dia de Júpiter
Sexta - dia de Vênus
Sábado - dia de Saturno

Os Doze Meses do Ano:

- Janeiro: homenagem ao Deus Janus, protetor dos lares
- Fevereiro: mês do festival de Februália (purificação dos pecados), em Roma;
- Março: em homenagem a Marte, deus guerreiro;
- Abril: derivado do latim Aperire (o que abre). Possível referência à primavera no Hemisfério Norte;
- Maio: acredita-se que se origine de maia, deusa do crescimento das plantas;
- Junho: mês que homenageia Juno, protetora das mulheres;
- Julho: No primeiro calendário romano, de 10 meses, era chamado de quintilis (5º mês). Foi rebatizado por Júlio César;
- Agosto: Inicialmente nomeado de sextilis (6º mês), mudou em homenagem a César Augusto ;
- Setembro: era o sétimo mês. Vem do latim septem;
- Outubro: Na contagem dos romanos, era o oitavo mês;
- Novembro: Vem do latim novem (nove);
- Dezembro: era o décimo mês

Os Quatro Elementos e os Signos

. Terra (Touro - Virgem - Capricórnio)
. Água (Câncer - Escorpião - Peixes)
. Fogo (Carneiro - Leão - Sagitário)
. Ar (Gêmeos - Balança - Aquário)

0 comentários: