Quem são os Pleidianos

11:12 Escola Flor da Vida 0 Comments


Publicado por Alana Ailène em 27 fevereiro 2013
Os Pleiadianos são seres de Luz, consciências superiores, da quinta dimensão – faixa vibracional do nosso Eu Superior. A quinta dimensão, ou Plano da Verdade, do Amor Incondicional, é um patamar acima da terceira dimensão, mundo da dualidade onde nós, seres humanos encarnados, vivemos – plano físico, do estado de vigília, do dia, onde o nosso cérebro dominante é o hemisfério esquerdo, com uma vibração na frequência cerebral beta, de catorze a trinta Hertz) e da quarta dimensão – plano astral, do sono, da noite, do hemisfério cerebral direito e frequências cerebrais mais baixas, Alfa, Teta e Delta.
Esses seres de Luz, ou Anjos em uma linguagem religiosa, nunca encarnaram na Terra, embora tenham, aqui, também a missão de evoluir seus espíritos através de uma “prestação de serviços” no nosso planeta. Isto acontece duas vezes em um período de vinte e seis mil anos, chamado tecnicamente de precessão dos equinócios, que é a duração do giro do nosso Sol, em torno da estrela Alcione, a principal estrela da constelação da Ursa Maior ou Plêiades. Cada um destes períodos duram mil anos, e o início do próximo ciclo de mil anos, de acordo com o calendário Maia e Cherokee, ocorreu a partir de vinte e um de Dezembro de 2012. Em termos astrológicos é a era de Aquários, a Era Dourada ou da Luz.
Os Pleiadianos são especialistas no conhecimento do ser humano. Creio que eles são os idealizadores do projeto humano na Terra, fazem parte da Grande Fraternidade Branca, coligados no quinto raio, o Raio Verde, da Verdade e da Saúde. Nesse raio estão o Mestre Ascenso Hilário, o Arcanjo Rafael e a Mãe Maria. Os anjos são todos especializados e eles são os enfermeiros ou médicos cósmicos.
Existem encarnadas no planeta Terra, várias raças originárias das Plêiades; a mais conhecida é a dos Maias, que nos legaram o seu calendário de 5125 anos, nos mostrando que estaremos de volta para a alta vibração do cinturão de fótons a partir do solstício de inverno no hemisfério norte, em 21 de Dezembro de 2012. Outras raças são compostas pelos Cherokees, os Hopi, os Kahunas, nativos peles vermelhas da América do Norte e também os pelos Essênios.
Por essa razão, desde a convergência harmônica em 16 de Agosto de 1987, quando o nosso planeta começou a receber diretamente “os primeiros raios” do cinturão de fótons, quando houve um alinhamento planetário em torno do Sol entre a Terra, Vênus, Marte e as Plêiades, várias pessoas começaram a despertar para suas missões neste momento especial do planeta terra e a se lembrar de conhecimentos ancestrais que estavam adormecidos nas suas consciências: Alguns escreveram livros sobre os Pleiadianos, a exemplo de Barbara Hand Clow (Agenda Pleiadiana, Alquimia das Nove Dimensões e outros), Barbara Marciniak (Mensageiros do Amanhecer e Terra) e Amorah Kwan Yin (Manual Pleiadiano e outros ainda não traduzidos para o português); outros canalizaram técnicas de terapia holística baseado nos conhecimentos pleiadianos, a exemplo de Peggy Durbro, com o EMF – Eletro Magnetic Field Balancing Technique, já presente em quase cem países, Christine Day, com Freqüências de Brilho bastante conhecida no Brasil, Gisele King, com Magnified Healing, Frequências de Luz comigo e vários outros que estão despertando em todo o planeta.
Desde que seja colocada a intenção pura e amorosa de serviço ao próximo, os Pleiadianos estão disponíveis para se coligarem com um tanto de pessoas e, quanto mais melhor, para uma transição planetária mais suave. Sendo necessário, no entanto, que haja, também, a devida purificação vibracional para que consigam acessar essas frequências de Luz. Todo este caminho é orientado pelo Eu Superior da pessoa. Todas as pessoas, canalizadores atuais, têm origem Pleiadiana, geralmente velhos xamãs em outras encarnações que têm uma facilidade de se sintonizar com estas consciências Pleiadianas, pois, de certa forma, tem o conhecimento do “idioma”, o que torna mais fácil a comunicação.
Relembrando, a boa e velha acupuntura é a primeira técnica Pleiadiana que se tem notícia. Originária da derradeira vez eles que estiveram no nosso planeta e repassaram esse conhecimento aos povos mais adiantados da época que eram os tibetanos, como um presente para ajudar a humanidade durante o período de baixa vibração, ou de trevas, que vivemos nos últimos 12.000 anos.
Os Pleiadianos são seres muito amorosos, amáveis, bem humorados e divertidos. Adoram que surja a oportunidade de trabalho, pois, além de permitir que eles ajudem irmãos mais novos na caminhada na terra também contribui para a sua própria evolução espiritual através do cumprimento da sua missão.
Eles devem acompanhar a nossa evolução neste planeta nos próximos mil anos e o farão de forma cooperativa, respeitando o nosso livre arbítrio, que é uma lei divina sagrada que não pode ser interferida, e nos ajudarão a construir um novo arquétipo na medicina, na arte e na ciência da cura, evoluindo para um modelo vibracional, eletromagnético, holístico, onde se leva em consideração todos os aspectos multidimensionais, quântico e holográfico do ser humano.
A medicina alopata-materialista predominante atualmente no mundo ocidental cuja estrutura é focada para a doença, para o ganho financeiro, para processos reativos que só agem quando as doenças já estão manifestadas no corpo físico será transformada numa nova medicina: espiritualizada, orientada para a saúde, para o autoconhecimento, a prevenção e a detecção dos desequilíbrios energéticos em níveis mais sutis da nossa estrutura holográfica, sem manifestação direta no veículo físico. Nesse momento estaremos vivendo na nova Era da Luz.
Eu sinto a presença deles através do “cheiro” maravilhoso, da minha percepção olfativa etérica – principalmente quando estou realizando atendimentos em Frequências de Luz e nos processos de Iniciação de novos terapeutas, onde várias pessoas percebem ou sentem uma vibração amorosa.
É uma experiência divina, por essa razão, e pedido deles, procuro desmistifica-los, pois, são seres que estão aqui conosco, disponíveis para todos os seres humanos e não para poucos privilegiados canalizadores.
Não se aproximam em maior quantidade por duas razões: primeiro, porque não interferem no nosso livre arbítrio, logo precisam ser invocados e, depois, porque o nível vibracional da humanidade ocidental é muito baixo principalmente por causa da alimentação inadequada de carne vermelha, cafeína e álcool.
Quando existe a divinização nós tendemos á idolatria e ao afastamento, como fizeram com o mestre Jesus, que foi divinizado pelas igrejas oficiais para ter sempre um “intermediário”. Não era esta a posição do mestre, quando disse; “O que eu faço, tu podeis fazer muito mais”.
Por esta razão, procure construir uma relação de companheirismo com irmãos mais velhos, mais sábios e amorosos que estão a serviço da Hierarquia Espiritual, que silenciosamente, das dimensões superiores, trabalham incessantemente para contribuir com a raça humana para sua caminhada na estrada para a Luz.
Lembrando, ainda, que no nosso arquétipo ancestral as cores azul e branco representam as Plêiades, as mesmas cores que o nosso inconsciente coletivo, usa para o manto da Mãe Maria, no mundo ocidental cristão, no mundo ocidental cristão, e, para o manto de Kwan Yin, a Mãe Divina do Buda, no mundo oriental. Logo, invocar os Pleiadianos, em última análise equivale a chamar a proteção da Mãe Maria, com o seu manto de proteção e paz, azul e branco.
Texto extraído do site Frequências de Luz

0 comentários: