Aonde está seu foco?

12:50 Escola Flor da Vida 1 Comments

Muito se fala sobre amor e respeito no desenrolar de uma vida. Muitas vezes partimos da compreensão para uma violência sem precedências. O mundo da guerra transpõem o físico, indo para os conflitos emocionais, mentais e até mesmo espirituais.  O próprio corpo humano através de seu sistema imunológico com os globos brancos combatem os intrusos. A guerra poder ser também ideológica, dogmática, psicológica e etc. Até quando suportaremos a violência psicológica e mental que drenam o emocional ocasionando o desiquilíbrio físico dos meios de comunicação e de nos mesmo seres humanos? Quem tem os "olhos de águia" vê além dos horizontes as mensagens por entrelinhas muito mais muito sutis dos recados universais que geram frutos e muitos aprendizados. Mas afinal porque estamos escrevendo isto? Qual o propósito? Teve um fato a desenrolar pela noite e hoje pela manhã que gerou este eventual artigo. 
A primeira palavra é DIVERSIDADE! Atrelada a ABUNDÂNCIA! Como expandir a consciência e conviver em um universo (digo além do planeta Gaia) de extrema diversidade caso o indivíduo esta em atrito consigo mesmo e com outros irmãos? O universo é compostos por diversos tons, cores e sons em uma cadeia multidimensional que se cruza ilimitadamente ocorrendo formas infinitas provindas do Criador. Já parou para pensar que talvez existem formas infinitas? Que existem outros tons, sons, formas, números e até sentimentos jamais experimentados por nós humanos? Que existem sentimentos que nossa linguagem é limitada para descrever? Quando amamos muito alguém e aquele amor não cabe no peito enviamos uma forma de arte para expressar. O que é uma música se não uma linguagem? 




A DIVERSIDADE é um grande passo na evolução trazendo novos conhecimentos, aprendizados, experiências, o diferente, o transversos, o translucido, a desproporção, a criação, inovação e etc. Transpõem e reforma antigos paradigmas. Ela esta atrelada diretamente com a ABUNDÂNCIA trazendo o sentimento de QUEM TEM PARA TODOS! Isto mesmo, TEM PARA TODOS os gostos, formas, pensamentos, ideias, vivências e etc. Trás o infinito e o ilimitado gerando a ABUNDÂNCIA. 

O MEDO TE DESCONECTA COM O CRIADOR OCORRENDO A SENSAÇÃO DE VAZIO E LIMITAÇÃO GERANDO A GUERRA

A luz para de fluir provendo o desespero e inicia o sugar as energias inconscientemente ou consciente de outros seres. Conecte-se com o Criador na correte amorosa. Há para todos! O amor é ilimitado, é a ABUNDÂNCIA. Jorre amor e tua fonte será ilimitada. Tudo que fazemos com amor prospera, cresce e vira aprendizado. O amor constrói. Liberte seu potencial criativo que reside no AMOR INCONDICIONAL. Faça para todos, materialize a forma amorosa no mundo. Expresse a beleza de Vênus, do amor e arte. O Criador pinta, borda, canta, constróidestróireconstrói, cria novas formas, sons, cheiros, cores, o ilimitado! Vamos aprender com ELE. 

Áquario bate as portas e quero ver quem vai segurar. Há quem esperneie como criança inconformada e mimada. Quem tem energia de aquário veio incomodar, transformar, não veio pra ser elogiado. A transformação vai brotar em cima, em baixo, direita, esquerda, dentro e fora. 

Atente para uma coisa das entrelinhas... Aquilo que gera caridade e frutos do amor gerando críticas alheia é o FOCO...

Edgar Nefreiki  

Um comentário:

  1. Orgulho

    “A compulsão de querer controlar a vida alheia, é fruto do nosso orgulho. O ser amadurecido não controla, mas sim coopera com o amor e com a liberdade das leis naturais”.

    Para ser bom mestre não é preciso fazer seguidores ou discípulos, nem mesmo possuir cortejos ou comitivas, mas simplesmente fazer com que cada ser descubra em si mesmo o seu próprio guia.

    Não devemos ditar nossas regras aos indivíduos, mas fazer com que eles tomem consciência de seus valores internos (senso, emoções e sentimentos) e passem a usá-los sempre que necessário.

    Essa a função dos que querem ajudar o progresso espiritual dos outros.

    Os indivíduos portadores de uma personalidade orgulhosa se apóiam em um princípio de total submissão às regras e costumes sociais, bem como o defendem energicamente.

    Utilizam-se de um impetuoso interesse por tudo aquilo que se convencionou chamar de certo ou errado, porque isso lhes proporciona uma fictícia “cartilha do bem”, em que, ao manuseá-la, possam encontrar os instrumentos para manipular e dominar e, assim, se sintam ocupando uma posição de inquestionável autoridade.

    Quase sempre se autodenominam “bem intencionados” e sustentam uma aura de pessoas delicadas, evoluídas e desprendidas, distraindo os indivíduos para que não percebam as expressões sintomáticas que denunciariam suas posturas de severos críticos, policiais e disciplinadores de consciências.

    A compulsão de querer controlar a vida alheia é fruto do nosso orgulho.

    O ser amadurecido tem a habilidade perceptiva de diagnosticar os processos pelos quais a evolução age em nós; portanto, não controla, mas sim coopera com o amor e com a liberdade das leis naturais.

    Muitos de nós convivemos com criaturas que tentam cuidar do nosso desenvolvimento espiritual, impondo controle excessivo e disciplina perfeccionista, não respeitando, porém, os limites de nossa compreensão e percepção da vida.

    São “censores morais”, incapazes de compreender as dificuldades alheias, pois não entendem que cada alma apenas pode amadurecer de acordo com seu potencial interno.

    Não julguemos, com nossos conceitos apressados, as pessoas e os acontecimentos à nossa volta; antes, aguardemos com calma e façamos uma análise mais profunda de cada situação.

    Assim agindo, poderemos avaliar melhor todo o contexto vivencial.

    Nosso orgulho quer transformar-nos em super-homens, fazendo-nos sentir heroicamente estressados, induzindo-nos a ser cuidadores e juízes dos métodos de evolução da vida excelsa e, com arrogância, nomear os outros como desprezíveis, ociosos, improdutivos e inúteis. Poderemos “agir no processo” de formação e progresso das criaturas, nunca “forçar o processo” ou criticar seu andamento.

    Comportamentos como a crítica moralista, o desejo de reformar os outros e o controle do que se deve ou não fazer, revela os traços de caráter dos indivíduos orgulhosos e ainda distanciados da autêntica cooperação no processo de evolução, que não os deixam perceber o que ocorre na intimidade das criaturas.

    Nada é inútil no universo.

    A divindade age sem cessar em solicitude e consideração a cada uma de suas criaturas e criações.

    O progresso da humanidade é inevitável. Todos estamos progredindo e crescendo, ainda que, algumas vezes, não nos apercebamos disso.

    ResponderExcluir