Uma compreensão esotérica da sexualidade I

10:56 Escola Flor da Vida 3 Comments

Estes atos são errados quando não partilhados no amor. Esses atos são errados quando egoístas. Esses atos são bons, quando geram o compartilhamento entre duas almas.
Mente Universal 
por Paul Solomon

Livro: Psicologia da Alma - Joshua David Stone
Um dos assuntos mais embaraçosos para aspirante e discípulo do caminho espiritual é o da sexualidade. Na minha opinião, há bem poucos livros que realmente explicam essa questão de maneira adequada. Este é um assunto complexo por diversas razões.

Em primeiro lugar, o ego e a alma têm visões completamente diferentes de como a sexualidade deve ser usada. Segundo, a sexualidade é afetada por algumas das seguintes variáveis:
1. Sua idade Cronológica;
2. A idade da sua alma.
3. Se você é solteiro ou casado;
4. Se mantém algum relacionamento;
5. Seu nível de iniciação nesta vida;
6. Seus metas e objetivos nessa vida;
7. Seu karma de vidas passadas e propósito da sua encarnação nesta;
8. Seu grau de saúde física ou falta dela;
9. Seu comprometimento com a ascensão nesta vida.
Para começar a discussão da sexualidade, vamos primeiro examinar a diferença entre as visões do ego e do espírito em relação à sexualidade. O ego usa a sexualidade a serviço do eu inferior; o espírito a utiliza somente a serviço do Eu superior e da alma. O ego só está interessado em se satisfazer egoisticamente; o espírito está interessado em amar e dar prazer ao outro, assim como a se mesmo. O ego trata o outro como um objeto, buscando usar esse corpo físico para alcançar a auto-satisfação; o espírito vê a outra pessoa como o Eu Eterno dentro do templo de um corpo.
O ego tem somente a visão física; o espírito tem também a visão espiritual. O ego é controlado por desejos, sentidos, pensamentos, emoções, sensações físicas e energia sexual; o espírito é senhor desses aspectos do eu e os utiliza a serviço de Deus.

O ego, que busca a luxúria, extravasa toda a sexualidade pelo segundo chakra; o espírito reconhece a energia sexual apenas como uma oitava da energia dentro do sistema de sete chakras, e procura elevar essa energia a todo o sistema, a fim de usá-la em campos como criatividade, a saúde física, o amor,  o serviço, a meditação mais aprofundada, a iluminação espiritual e a teo-realização.

O ego é obcecado pela sexualidade e olha toda pessoa através dessa lente de referência; o espírito vê todas as pessoas primeiramente como Deus encarnado. 

O ego usa a energia da kundalini para obter prazer sexual; o espírito busca elevar a energia da kundalini, da qual faz parte a energia sexual, até o chakra do alta da cabeça. 

O ego procura chegar ao orgasmo somente no plano do segundo chakra; o espírito, ao praticar a sexualidade tântrica, busca o orgasmo em todos os sete níveis.

O ego considera a sexualidade como a coisa mais importante da vida, e fica mal-humorado, zangado, aborrecido e irritadiço se não consegue o que quer; o espírito, tendo preferências mas não apegos, permanece em total alegria, paz e equilíbrio, aconteça o que acontecer. O ego não pode conceber a felicidade sem a sexualidade; a felicidade do espírito pondera seriamente o celibato como uma opção viável, enquanto o ego constantemente inicia relacionamentos  espiritualmente equivocados em função do impulso sexual. O espírito, sendo solidamente centrado no autodomínio, dispõe-se tranquilamente a aceitar o celibato durante toda uma vida, caso o parceiro espiritual correto não manifeste.
O ego dissipa enormes quantidades de energia sexual por meio da masturbação; o espírito, embora nada veja de errado na masturbação, busca sublimar parte dessa energia em ojas shakti ou iluminação cerebral. 

O ego usa a sexualidade como o objetivo de alcançar o orgasmo; o espírito usa a sexualidade para alcançar a intimidade e partilhar o amor espiritual. e pode até preferir não chegar ao orgasmo. O espírito considera o prelúdio amoroso mais importante que o orgasmo. 

O ego se interessa por pornografia e vive no estado de consciência que a cria; o espírito não usa a sexualidade dessa forma; utiliza-a, para a glória de Deus.

O ego faz amor somente com o corpo físico; o espírito faz amor com o espírito que vive dentro do corpo físico.
O ego coloca em primeiro lugar o seu próprio prazer; o espírito coloca em primeiro lugar o prazer da outra pessoa. O ego se interessa por sentir orgasmo o mais rápido possível; o espírito se interessa por partilhar o amor por tanto tempo quanto for possível.

O ego usa fantasias de outras pessoas durante a masturbação ou envolvimento sexual com um parceiro; o espírito é extremamente contido no uso da fantasia, reconhecendo que todas as mentes estão unidas, e que aquilo que um fantasia afeta o outro.

O ego negativo controla a personalidade encarnada leva a pessoa a ter romances por falta de controla do aspecto sexual; o espírito, compreendendo a lei do karma, jamais faz nada que magoe a outra pessoa, que seja desonesto ou que gere karma negativo.
Eu poderia continuar ainda por muito tempo, mas acho que já é o suficiente para passar claramente a idéia básica. Resumindo, os atos sexuais são pecaminosos ou errados quando egoístas e não compartilhados com amor; são bons quando provocam a partilha do amor entre duas almas.

CONTINUA....

3 comentários:

  1. Da vontade de postar tantas coisas...quem dera se pelo menos
    metade das mentes humanas vivessem no espírito.ao lerem estas postagens são capazes até msm de debocharem ...sinceramente um se torna objeto, e vive eternamente infeliz ,por não ser compreendido.

    ResponderExcluir
  2. ista informação e maravilhosa parabens

    ResponderExcluir