A Criatura

16:30 Escola Flor da Vida 0 Comments


Das apostilas precedentes já temos a descrição das moradas e dos respectivos administradores deste conjunto habitacional chamado Sistema Solar. Faltam-nos os moradores, que passaremos a descrever.
A figura abaixo é a mesma apresentada na apostila 03. Nela, pela primeira vez, fizemos referência à Mônada. Centelha de vida de cada Ser.
Recapitulando, lembramos que a Mônada se origina a partir do transformismo inicial efetuado pelo 1º Logos. (Vide apostilas 02 e 03). Sobre esse surgimento paira a mais densa névoa. Tentar descrevê-lo para as condições humanas de interpretação é, simplesmente, impossível.
Alguns autores, como Pietro Ubaldi em seu livro A Grande Síntese, fizeram uma tentativa para elucidar tão transcendente acontecimento. Contudo, dada as dificuldades naturais causadas pela ausência de termos comparativos, as narrativas daqueles pensadores não oferecem a clareza que o raciocínio humano sempre deseja. Assim, conquanto consideremos louvável o esforço de cada um deles, não desceremos aos pormenores de seus textos, pois que, para analisá-los, nos alongaríamos demasiadamente, o que poderia tornar essa apostila pouco compreensível.
Para nós, humanos, até que o tempo, e a visão espiritual, nos permitam, o nascimento de u'a Mônada continuará na lista das explicações impossíveis. Mesmo porque esse evento se dá num plano, ainda, inteiramente incompreensível à nossa razão e à nossa imaginação.
Assim estabelecido, com o seu nascimento temos o primeiro passo desse viandante cósmico chamado Espírito, que é transferido ao plano 2, ou Monádico, e entregue aos cuidados do 2º Logos..
Ali é seu berço de despertamento. Despertado, ou vivificado pelo 2º Logos, inicia sua interminável jornada. Allan Kardec, usando de uma expressão comum, disse que o Espírito é criado Simples e Ignorante. (O Livro dos Espíritos, questão 115 e 804).
Essa expressão pode ser traduzida como tendo sido criado simples e sem o Saber, mas destinado à mais avançada das potencialidades que nos é dado imaginar. E´ assim que o vemos na figura, à esquerda, 03C. Logo a seguir, porém, timidamente dá o primeiro passo. Acompanhem a figura abaixo.
Guiado pelos devas lança de si um raio de vida buscando contato com o primeiro plano a seguir ao que se encontra. Digamos, lança de si uma "sonda". Para entendermos, essa sonda pode ser comparada a um dispositivo de controle remoto, através do qual faz seu acesso ao plano Atma.
Uma vez a "sonda" ali instalada, agrega-se à ela as substâncias pertencentes e que melhor caracterizam aquele plano. Esse agregado fundamenta na Mônada, via "sonda", o aspecto VONTADE. E´ o que na figura indicamos por 1ª Etapa.
Agora irá dar mais um passo. Partindo da "sonda" que se encontra no plano Atma projeta o prolongamento do raio de vida que, como um tentáculo, alcança o plano Buddhi.
Igualmente ao acontecimento anterior, agrega em si, através da "sonda", as substâncias características daquela dimensão, passando a ter, em si, o aspectoSABEDORIA. Isso é visto na figura na coluna indicada por2ª Etapa.
Continuando sua expansão de vida, e sempre sob os cuidados dos Devas, lança o terceiro raio, continuidade do segundo, atingindo com ele o plano Mental Superior.
Ali tendo sua "sonda", pelos mesmos processos ocorridos nos planos anteriores, fixa-lhe o aspecto ATIVIDADE. Sendo esta a 3º Etapa indicada na figura.
As substâncias características, e respectivas de cada plano, uma vez incorporadas pela Mônada, se tornam elementos permanentes ao Espírito. Serão os determinantes para a formação de seus futuros veículos de manifestação, ou corpos que usará para se ver presente "fisicamente" em cada um daqueles planos correspondentes.
À "sonda" e às substâncias podemos compará-las à fita de gravação, seja de um cartucho K7 ou de vídeo. A superfície dessas fitas é coberta por uma fina camada de partículas de óxido de ferro. Ao ser passada por um dispositivo eletrônico de gravação, seja de sons ou de imagem, ou dos dois, os impulsos elétricos que são disparados contra a fita provocam variadas intensidades de magnetismo. Essa variação de magnetismo vai reposicionando as partículas de óxido de ferro de tal forma que essa mesma fita, ao ser passada por um dispositivo de leitura, reproduz o som ou a imagem, ou dos dois, que nela foi gravado.
Algo semelhante acontece à "sonda" projetada pela Mônada em relação ás substâncias características de cada plano. A "sonda" seria a fita, as substâncias seriam as partículas de óxido de ferro e os planos, em si, seriam os dispositivos eletrônicos de gravação.
Desta maneira "gravam-se" na Mônada os aspectos VONTADE, SABEDORIA e ATIVIDADE.
Na figura abaixo representamos o resultado dessa expansão inicial da Mônada.
A Expansão inicial da Mônada resulta na formação da Estrutura Superior do Ser. Essa estruturação, que é a junção dos três aspectos, está representada na figura pela elipse, (oval). Também essa junção dos três aspectos, que sempre são acionados associativamente, dará a continuada impulsão de vida ao Espírito.
Em linguagem esotérica essa junção recebe o nome de Tríade Superior. Ela, para nosso exclusivo entendimento, pode ser imaginada como, se fosse numa empresa, seria um departamento intermediário entre a sede de administração e o setor produtivo.
A sede administrativa é o EU, ou a Mônada, o departamento intermediário é a Tríade Superior, e o setor produtivo, que em nosso estudo será o complemento de toda a criatura, nós o estudaremos na próxima apostila.
Apenas adiantando um pouco nossas informações, a Tríade Superior é a região do psiquismo humano situada na zona de Evolução Super Humana. Esse detalhe referente à Evolução Super Humana, está inserido nas apostilas da série Estudo da Faculdade Paranormal da Mediunidade, mais precisamente na apostila 10. Entretanto para que nesta série possamos ter uma visão de parte do conteúdo naquela estudado, apresentamos a figura 10A abaixo, que ilustra as regiões de Evolução Super Humana e Evolução Humana.
A Evolução Humana ocorre neste período como este em que ainda nos encontramos, utilizando somente os corpos Físico, Astral e Mental. Já a Evolução Super Humana se dá quando o indivíduo, superando a fase inicial do arco ascendente do fluxo irresistível de vida, compreendida pelos planos Físico, Astral e Mental Inferior, passa a percorrer os planos Mental Superior, Buddhico e Átmico.
Mas voltemos ao tema deste estudo. De tudo o que já ficou narrado, é interessante destacar que a partir da estruturação da Tríade Superior inicia-se o trabalho de vida da Mônada. Além disso é preciso que fique entendido o seguinte: A Mônada tem sua morada permanentemente no plano Monádico. Ela não "desce" ao plano Atma, ou a qualquer outro plano. O que ela faz é projetar de si um raio para com ele, como se fosse uma "sonda", contatar o plano desejado.
Esse raio, em sua extremidade "inferior" incorpora, como já dissemos acima, as substâncias características do plano respectivo. Esse aglomerado de substâncias, de cada plano, é o embasamento para a formação de um corpo que a Mônada utilizará para manifestar-se naquele mesmo plano. E o conjunto de aglomerados de substâncias é a Tríade Superior.
Há outro dado que também deve ficar entendido. E´ o seguinte: A Mônada não "desce" a nenhum plano, mas permanece sempre no Monádico. Fazendo, porém, uso de seu raio de vida, e de um corpo, manifesta-se em outros planos, um por vez. Dessa forma ela experiencia duas situações diferentes de vida a cada momento: Uma situação, em seu plano natural de existência, o plano Monádico; a outra situação naquele plano em que seu corpo de manifestação correspondente permitir sua atuação.
Sobre isso falamos na apostila 09, cuja figura repetimos abaixo para fixar a compreensão.
Comparativamente à essa circunstância podemos dizer que no plano Monádico ela está plena de seus poderes: Vontade, Sabedoria e Atividade. Portanto, sensciente de si mesma. Ao passo que, quando sua atenção está mergulhada no viver de algum outro plano, ela passa a um estado de constrangimento. Melhor dizendo, de restringimento de seus poderes. Em qualquer plano de existência que não o Monádico, ela tem que se adequar às medidas de tempo e espaço próprios daquele plano, como também às limitações que a matéria dali impuser.
De grandiosa e livre, no plano Monádico, ela se converte num Ser iniciante, em tudo insegura e dependente. Toda aquela situação lhe é novidade, e há muito a ser aprendido. Essa situação, porém, não é permanente. De início, inevitavelmente, como a experiência na Terra nos ensina, a matéria irá submeter, ou calar, todos os atributos da Mônada. Sua vontade, sabedoria e atividade, ficarão profundamente anuladas. O burilar nos incontáveis retornos aos planos inferiores é que permitirá à Mônada fazer-se dominadora, também, naquele plano específico.
Podemos usar o ato do momento do nascimento de uma criança como exemplo comparativo para o trecho citado no parágrafo anterior. Ele nos dará uma idéia do que se passa com a Mônada nesse seu descenso à matéria.
A criança, no início da vida está inteiramente sob os cuidados dos pais, como também sob inteiro domínio das sugestões que seu ambiente de existência lhe causar. Contudo, à medida que vai crescendo e aprendendo dos mecanismos da vida social, religiosa e intelectual, começa a se sobressair e a deixar o antigo jugo das ilusões infantis. Assim, a cada etapa da existência, vai se tornando um Ser independente.
A Mônada, então, principia seu ciclo evolutivo pela simplicidade e tudo desconhecendo, como ficou demonstrado acima. Porém, sob os cuidados dos Devas, no perpassar do tempo, e na aplicação de sua vontade, aliada à sabedoria crescente numa constante e ininterrupta atividade, passo-a-passo subjugará a matéria de cada plano.
Esta, semelhantemente, é a situação que, neste nosso plano Físico, vivemos nossa etapa evolutiva. Com o domesticar de nossas tendências, com o afastar de conceitos ultrapassados e vivenciados em antigos regimes religiosos e sociais, principiamos a ter domínio sobre nova for ma de experienciar a vida. Por conseguinte, principiamos a derrubar o ilusório para erguer o realístico.
E por falar em realístico, destacamos que a figura 10B, folha 2, é a expressão do SER manifestado em planos superiores de matéria. Ali não está representado o corpo, ou os corpos, com que possa manifestar-se.
Ali se representa a estrutura de tríplice apoio, ou a Tríade Superior que, no futuro, quando atingir sua maioridade e passar a chamar-se indivíduo, usará amplamente como base psíquica para conduzir sua vida. Por enquanto, embora na figura tenhamos mostrado uma só Mônada, isto feito para facilitar o entendimento, ela é, contudo, apenas mais uma anônimadentro de uma inimaginável coletividade que, sem ainda possuir o poder de escolha, segue conduzida pelas mãos hábeis dos Devas.
Ainda está longe o dia em que despertará como indivíduo, individualizado, possuindo poderes de escolha. Todavia, embora longe o grande dia do indivíduo, ali já dormita, em germe, o Anjo de amanhã.
Por enquanto estabeleceu sua primeira etapa estrutural. Agora dará início à fase de acesso aos planos mais densos: Mental Inferior, Astral e Físico.

Bibliografia:
Autor Título Editora

André Luiz/Francisco C. Xavier- Ação e Reação - página 87 - Federação Espírita Brasileira
André Luiz/Francisco C. Xavier - Evolução em Dois mundos - Federação Espírita Brasileira
André Luiz/Francisco C. Xavier - Obreiros da Vida Eterna - páginas 50 e 51 - Federação Espírita Brasileira
Arthur E. Powell - O Corpo Causal e o Ego - Editora Pensamento
Áureo/Hernani T. Santana - Universo e Vida - página 110 - Federação Espírita Brasileira
Charles W. Leadbeater - Compêndio de Teosofia - páginas 13 e 19 - Editora Pensamento
Edgar Armond - Os Exilados da Capela - Editora Aliança
Edição Barsa - Dicionário da Bíblia Católica - Edição 1975 - Enciclopaedia Brittânica
Elza Baker - Cartas de Um Morto Vivo - páginas 126 e 128 - Livraria Allan Kardec Editora
Emmanuel/Francisco C. Xavier - A Caminho da Luz - Federação Espírita Brasileira
Erich von Daniken - O dia em que os Deuses Chegaram - Editora Melhoramentos
E. Norman Pearson - O Espaço, o Tempo e o Eu - Edição do Autor
Helena Petrovna Blavatsky - A Doutrina Secreta - Volume I págs: 105-118-145-146-177-260-266-268-306-308 - Editora Pensamento
Helena Petrovna Blavatsky - A Doutrina Secreta - volume II - páginas 56 e 190 - Editora Pensamento
Helena Petrovna Blavatsky - A Doutrina Secreta - Volume IV - página 160 - Editora Pensamento
Helena Petrovna Blavatsky - A Doutrina Secreta - Volume V - páginas 69 e 90 - Editora Pensamento
Helena Petrovna Blavatsky - Isis sem Véu - Volume III - págs. 41-103-135-136-172-175-176-184 - Editora Pensamento
Itzhak Bentov - Á Espreita do Pêndulo Cósmico - Editora Cultrix/Pensamento
Itzhak Bentov e Mirtala - Um Livro Cósmico - Editora Cultrix
Pietro Ubaldi - A Grande Síntese - Livraria Allan Kardec Editora
Ramatis/Hercílio Maes - Mensagens do Astral - Livraria Freitas Bastos
Yvonne A. Pereira - Devassando o Invisível - Federação Espírita Brasileira

Apostila escrita por
LUIZ ANTONIO BRASIL
Junho de 1996
Junho de 2005

0 comentários: