O Mantra Mani

10:08 Escola Flor da Vida 0 Comments

     Este mantra foi transmitido para os recém formandos no 
  Nyorai Reiki Tibet Ho. Os mantras funcionam melhor após a               iniciação por um professor competente. É notável a diferença energética de você praticar um mantra sem ou com iniciação. Mais informações sobre mantras clique AQUI

Chenrezig é um buda completamente iluminado que, para beneficiar os seres, toma a forma de um bodhisattva. Todos os budas têm apenas uma natureza, e sua compaixão é personificada em Chenrezig. Como personificação da compaixão de todos os budas, Chenrezig é ao mesmo tempo a fonte de todos os budas e bodhisattvas, já que a compaixão é exatamente a raiz da iluminação. Chenrezig é compaixão em si mesma na forma de uma deidade. Chenrezig é o Buda, Chenrezig é o Dharma, Chenrezig é a Sangha; Chenrezig é o Lama, Chenrezig é o Yidam, Chenrezig é a Dakini; Chenrezig é o Dharmakaya, Chenrezig é o Sambhogakaya, Chenrezig é o Nirmanakaya; Chenrezig é Amitabha, Chenrezig é o Guru Rinpoche, Chenrezig é Arya Tara; e, acima de tudo, Chenrezig é nosso próprio lama-raiz. Como cem riachos passando sob uma única ponte, Chenrezig é a união de todos os budas. Receber suas bênçãos é receber as bênçãos de todos os budas, e realizar sua natureza é realizar a natureza de todos os budas.
File:Chenrezig Sand Mandala.jpgChenrezig tem aparecido nesta era obscura na pessoa de Guru Rinpoche, cuja sabedoria, compaixão e poder são mais ágeis do que os de qualquer outro buda, já que foi para beneficiar especificamente os seres desta era que ele fez suas preces de aspiração. Chenrezig manifesta formas infinitas: reis, mestres espirituais, homens e mulheres comuns, animais selvagens, até montanhas, árvores e pontes — o que for necessário para preencher as necessidades dos seres sencientes. Até uma brisa suave num dia de calor escaldante ou um momento de alívio durante uma dolorosa doença são manifestações da compaixão de Chenrezig.
De modo similar, o mantra de seis sílabas de Chenrezig, OM MANI PADME HUM, é a sabedoria compassiva de todos os budas na forma de som. Dentro dele está contido o significado essencial de todos os 84 mil ensinamentos de Buda. De todos os diversos mantras de vários tipos, como os mantras de estado desperto, dharanis e mantras secretos, nenhum é superior ao mantra de seis sílabas de Chenrezig. Os enormes benefícios da recitação desse mantra, conhecido como “mani”, são descritos muitas vezes tanto nos sutras quanto nos tantras. Costuma-se dizer que recitar o mani mesmo uma única vez é o mesmo que recitar na íntegra os doze ramos dos ensinamentos do Buda. Recitar as seis sílabas do mani torna perfeitas as seis paramitas e bloqueia firmemente qualquer possibilidade de renascimento nos seis reinos do samsara. É uma prática simples, fácil de compreender e acessível a todos, e ao mesmo tempo contém a essência do Dharma. Se você tomar o mani como refúgio, tanto na felicidade quanto na tristeza, Chenrezig sempre estará com você. Você sentirá mais e mais devoção sem qualquer esforço, e por si só toda a realização do caminho Mahayana vai despertar no seu ser.
Segundo o Sutra Karandavyuha, se você recitar 100 milhões de manis, toda a miríade de organismos vivos em seu corpo será abençoada por Chenrezig, e quando você morrer até a fumaça da cremação de seu corpo terá o poder de proteger qualquer um que a inalar do renascimento nos reinos inferiores.
Até uma única sílaba do mantra por si só — OM, MA ou NI — carrega um poder inimaginável para abençoar e liberar os seres. Costuma-se dizer que um buda é capaz de feitos extraordinários além da capacidade de qualquer outro ser, como dizer exatamente quantas gotas de chuva iriam cair durante uma tempestade que durasse doze anos. Mas mesmo ele não seria capaz de descrever inteiramente o mérito gerado por uma única recitação do mani. Se ele fosse começar tal descrição, mesmo que todas as florestas da terra fossem transformadas em papel, nunca haveria papel suficiente para escrever mais do que uma parte mínima.
Não há nada no mundo todo que pode realmente assustar e afastar o Senhor da Morte, mas a irradiação aconchegante da compaixão de Chenrezig pode acabar completamente com o terror que uma pessoa sente com a chegada da morte. Isto é o que quer dizer “refúgio absoluto”. Totalmente livre do samsara, Chenrezig está sempre pronto para ajudar os seres sencientes, e mesmo seu movimento mais sutil — um gesto de sua mão, um piscar de olhos — tem o poder de nos liberar do samsara. Quando o invocamos recitando o mani, nunca devemos pensar que ele está longe demais para nos escutar, em algum distante campo búdico. Chenrezig está sempre ali com qualquer um que tenha fé nele. Nosso próprio obscurecimento nos impede de, efetivamente, ir para a Montanha de Potala na Terra Pura Exultante de Sukhavati para encontrá-lo face a face, mas na verdade sua compaixão jamais ignora nenhum único ser. Ele se manifesta constantemente em qualquer forma que possa beneficiar ao máximo os seres, particularmente na forma de grandes mestres espirituais. Então devemos compreender com convicção completa que Chenrezig, o protetor supremo que mostra a todos os seres sencientes o caminho da liberação, na verdade não é outro que o nosso lama-raiz.
A chuva de compaixão de Chenrezig cai em todo lugar nos campos dos seres sencientes imparcialmente; mas as mudas da felicidade não podem crescer onde as sementes da fé estão secas. Ter pouca fé é se fechar para o sol radiante de suas bençãos, como se você estivesse se trancando em um quarto escuro. Mas se você tem fé, não há distância, não há intervalo, entre você e as bençãos de Chenrezig.
Os ensinamentos do Senhor Buda são inconcebivelmente extensos e profundos. Adquirir uma exaustiva compreensão intelectual deles seria, realmente, um feito raro e digno de nota. Mas mesmo isso não seria suficiente por si só. A menos que alcancemos realização interior com a aplicação de fato dos ensinamentos, com eles unidos em nossa mente, qualquer conhecimento que adquirimos permanece teórico e vai servir apenas para aumentar nossa arrogância intelectual.
Nós temos lido muitos livros e ouvido muitos ensinamentos, mas isso não tem sido muito benéfico para a transformação verdadeira de nosso ser. Deixar a prescrição médica na cabeceira não vai curar a doença. Então volte sua mente para dentro e medite profundamente sobre o significado do Dharma até que ele permeie todo o seu ser.

 
É por isso que Patrul Rinpoche diz:
O que quer que eu saiba, deixei como teoria; não tem utilidade para mim agora.
O que quer eu tenha feito, gastei nesta vida; não tem utilidade para mim agora.
O que quer que eu pensei, foi tudo apenas ilusão; não tem utilidade para mim agora.
Agora já é tempo de fazer o que é realmente útil — recitar o mantra de seis sílabas.

Dilgo Khyentse Rinpoche (Tibete, 1910 – Butão, 1991)
The Heart Treasure of The Enlightened Ones

0 comentários: