Energia vital: Origens, equilíbrio e sintonia

11:45 Escola Flor da Vida 1 Comments

ENERGIA VITAL
A Energia Vital é única, chamada por diversos nomes conforme as localidades que as empregam. "Prana" para os Indus, "Ki" para os Japoneses, "Chi" para os Chineses, "Baraka" para os Islâmicos, "Orgônio" para Wilhelm Reich, "Energia Cósmica" para os Brasileiros, "Energia Bioplasmática" para os Russos, "Mana" para os Kahunas, "Ruach" para os Judeus, "Elan Vital" pelos Franceses, "Pneuma" pelos Gauleses, "Orenda" pelos Índios da América do Norte, "Ka" pelos antigos Egípcios e assim sucessivamente. Embora seja a mesma, existem diversas formas de canalizá-la, dai a Cura Prânica, Johrei (Igreja Messiânica), Passe Espírita e Magnetismo (Religião Espírita) e outras. O Reiki se distingue dessas todas pela forma de canalizar a energia para os clientes, forma única, momento em que você se torna Reikiano e além disso, trabalha não só com a energia "Ki" mas com uma mescla resultante da Energia Universal "Rei" originária de nosso "Criador" + a Energia "Ki". Outro aspecto a destacar, é que nas outras formas de canalização, você trabalha com a sua própria energia "Ki", diferença essa, fundamental do Reiki que você trabalha com a fonte "Rei" que é Inesgotável e nas aplicações, você se alimenta também dela, sendo na realidade sempre um auto-tratamento.


ORIGEM DE UMA DAS PARCELAS DA ENERGIA VITAL "Ki"
Um número infinito de forças emanam de nosso Sol, mas três delas são independentes e chegam ao nosso planeta: Fohat ou eletricidade, Prâna (Ki) que é a Energia Vital e Kundalini ou Fogo Serpentino. Sob o nome de Fohat estão incluídas todas as energias físicas conhecidas e conversíveis entre si, como a eletricidade, o magnetismo, a luz, o calor, o som, etc. Vamos destacar aqui, a que está diretamente ligada ao Reiki que é o Prâna (Ki). Como no Reiki a origem da redescoberta é Japonesa, só utilizaremos a palavra "Ki". O nosso Sol é o reservatório da força vital "Ki" e dele emanam as correntes vitais que vibram através de todo organismo vivo sobre a face de nosso planeta Terra. Uma pequena parcela de "Ki" é absorvida diretamente dos alimentos que ingerimos e uma outra diminuta parcela vem geneticamente através do DNA quando nascemos.
a.. Para os japoneses, essa força vital é conhecida com o nome de "Ki".
b.. Paracelso, dava-lhe o nome de "arqueu" e afirmava que : - "Todo microcosmo está potencialmente contido no "liquor vitae", fluido nervoso... no qual se encontram a natureza, e a essência de todos os seres".
c.. É o "Ki" que dá aos órgãos físicos a atividade sensorial e que transmite as vibrações externas aos centros sensórios situados do campo energético próximo à pele chamado campo etérico ou corpo etérico do homem. Assim, o "Ki" segue os nervos do corpo que atuam como transmissores, não só dos impactos exteriores, como da energia motora que provém do interior de nosso organismo.
d.. O "Ki" emanado do Sol penetra nos átomos físicos que flutuam na atmosfera terrestre e que, em virtude de seu brilho e de sua extrema atividade, podem esses glóbulos de energia serem vistos difundidos na atmosfera, por qualquer pessoa que se dê ao trabalho de olhar para o ar, 
principalmente em dias ensolarados. A melhor maneira de discerni-los é desviar o olhar do Sol e fixar o foco visual a alguns metros de distância, num fundo livre de céu. Os glóbulos são brilhantes e incolores podendo ser comparáveis a luz branca. Quando o Sol brilha, a vitalidade se renova sem cessar e os glóbulos de "Ki" são gerados em quantidades incríveis. Ao passo que em tempo nublado, com demasiada poluição no ar ou quando temos inversão térmica, se nota grande diminuição do número desses glóbulos presentes na atmosfera. Podemos observar que a noite parece estar suspensa a sua produção, pois eles não podem ser vistos. Assim, no inverno a produção de "Ki" é menor do que no verão e a escassez de "Ki" na atmosfera tende a provocar estados depressivos e tristeza nos seres humanos. Estes estados mentais são conhecidos como "distúrbio sazonal afetivo" aqui, a falta do "Ki" provoca alterações na química cerebral produzindo humores melancólicos, estes distúrbios são comuns em países do hemisfério norte devido aos longos períodos de inverno a que estão sujeitos.
Universalmente é aceito que quanto mais "Ki" você tem, mais vitais serão os seus processos mentais e corporais. Equilibrado, o "Ki" dá origem às seguintes qualidades:


RESULTADO DO "KI" EQUILIBRADO
Vivacidade mental - Sistema nervoso responsivo - Boa coordenação motora - Ritmos corporais equilibrados (fome, sede sono, digestão, eliminação) - Entusiasmo - Realização espiritual - Formação adequada de tecidos - Sono saudável - Forte imunidade a doenças - Vitalidade física - Senso de jovialidade.
Estas são as qualidades naturais da vida humana quando equilibrada e plena. O "Ki" exaurido é diretamente ligado ao envelhecimento e à morte. Nada pode permanecer vivo quando o "Ki" está ausente, porque ele é inteligência e consciência, os dois ingredientes vitais que animam a matéria física. O "Ki" pode ser experimentado de muitos modos: quando você está tomado de súbita energia, sente o influxo de uma clareza e vivacidade súbitas, ou simplesmente percebe que está no "fluxo", a sua atenção foi atraída para o "Ki". Algumas pessoas o sentem como uma corrente de energia em seus corpos. Estas sensações tendem a ser consideradas como sendo qualquer outra coisa (zumbido no ouvido, nervos formigando, pulsação acelerada), mas isto não passa de um reflexo do modo como somos ensinados a perceber os nossos corpos.
Na Índia o corpo é percebido primeiro como um produto da consciência e apenas secundariamente como objeto material. A conservação do "Ki" é considerada extremamente importante, e os antigos ensinamentos transmitem as seguintes regras básicas para assegurar a presença no corpo de um "Ki" equilibrado e vital em todas as idades:

DIETA - Coma alimentos frescos, preferencialmente produzidos em casa. O "Ki" mais elevado se encontra em alimentos saídos diretamente da horta. Comida velha rapidamente perde seu "Ki". Na verdade, qualquer coisa velha, borolenta, rançosa ou mofada indica ausência da energia vital e deve ser evitada. Alimentos industrializados também têm um nível muito baixo de "Ki". A água de beber deve ser pura; a melhor é a água da fonte ou a resultante da neve derretida. A água poluída é deficiente de "Ki".

EXERCÍCIOS - A atividade física aumenta o "Ki" ao trazer energia para o corpo, a menos que levada ao ponto de exaustão. Exaustão e fadiga são importantes indicadores da exaustão do "Ki". (Na medicina ocidental também reconhecemos esta questão: quando o exercício físico é conduzido a um ponto além das reservas de oxigênio do corpo, ele tem que ganhar energia metabolizando seus próprios tecidos).

RESPIRAÇÃO - A fonte principal de "Ki" do organismo é a respiração, o que, numa ótica mais ampla, capta o oxigênio, e, num nível mais sutil, capta a energia da vida. O "Ki" é assim literalmente identificado como o sopro de vida. Os sábios antigos consideravam que a qualidade da vida de uma pessoa seria refletida na qualidade de sua respiração. Quando a respiração é refinada, lenta e regular, a circulação do "Ki" está alcançando todos os níveis de corpo e mente, promovendo um estado de equilíbrio completo.

COMPORTAMENTO - Nossos atos podem danificar ou alimentar o "Ki" do corpo. Um comportamento tenso, áspero, conflituoso ( a que hoje em dia chamamos de comportamento estressado) perturba o fluir do "Ki". O comportamento refinado que vem de uma sensação de tranqüilidade e auto-aceitação promove um "Ki" equilibrado. A atitude de não-violência (Ahimsa), às vezes chamada de reverência pela vida, está na raiz do comportamento que favorece a vida.

EMOÇÕES - Quatro emoções negativas - medo, raiva, cobiça e inveja- desequilibram o "Ki" e devem ser evitadas. Emoções positivas, particularmente o amor, aumentam o "Ki". O amor é considerado a emoção mais básica que a consciência humana pode sentir; assim, é a que está mais próxima da fonte da vida. A onda de bem-estar que você sente quando se apaixona deve-se ao fato de terem sido, inconscientemente, abertos os canais da consciência que permitem mais "Ki" flua. Emoções reprimidas através de vergonha e culpa fazem com que esses canais se contraiam. Quando o "Ki" é impedido de fluir, desenvolvem-se focos de inércia e estagnação, os quais acabam por promover doenças. A depressão é um estado de quase completa ausência de fluxo, e é associada a enfermidades crônicas, envelhecimento e morte prematuros.
Assim, uma vida saudável, tal como é medida pela conservação do "Ki", exige o seguinte:

- Comida fresca.
- Água e ar puros.
- Sol.
- Exercícios físicos moderados.
- Respiração equilibrada e refinada.
- Comportamento não-violento e reverência pela vida.
- Emoções amorosas positivas; livre expressão das emoções.

Pense na diferença entre uma salada feita com verduras recém-colhidas na sua horta e uma outra feita com as mesmas verduras compradas no supermercado. Compare um piquenique nas montanhas com um sanduíche numa lanchonete, ou o sabor da água fresca da fonte com a água clorada de uma torneira na cidade. O frescor indica a presença de "Ki"; a falta de frescor indica sua ausência.
Livro: "Corpo Sem Idade, Mente Sem Fronteiras" - Deepak Chopra, M.D.

ATITUDES ERRADAS JOGAM ENERGIA PESSOAL NO LIXO
- Por Franco Guizzetti

A perda de energia pessoal pode ser manifestada de várias formas, tais como:

• falha de memória (o famoso "branco")
• cansaço físico
• o sono deixa se ser reparador
• ocorrência de doenças degenerativas e psicossomáticas
• quando um sofá confortável diante da TV se torna mais convidativo do que outras atividades, como sexo, por exemplo, diminui a velocidade das atividades
• os projetos são "aposentados" para economizar energia
• o crescimento pessoal, a prosperidade e a satisfação diminuem
• os talentos não se manifestam mais por falta de energia
• o magnetismo pessoal desaparece
• medo constante de que o outro o prejudique, aumentando a competição, o individualismo e a agressividade
• falta proteção contra as energias negativas e aumenta o risco de sofrer com o "vampiro energético"
A terapeuta holística Vera Caballero, elaborou uma lista de atitudes pessoais capazes de esgotar as nossas energias. Conhecendo cada dessas ações para evitar a "crise energética pessoal". Veja:

1- Maus hábitos e falta de cuidado com o corpo:
Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer são sempre colocados em segundo plano. A rotina corrida e a competitividade fazem com que haja negligência em relação a aspectos básicos para a manutenção da saúde energética.

2- Pensamentos obsessivos:
Pensar gasta energia, e todos nós sabemos disso. Ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho físico.. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos -mal comum ao homem ocidental-, torna-se escravo da mente e acaba gastando a energia que poderia ser convertida em atitudes concretas, além de alimentar ainda mais os conflitos. Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar as energias, enquanto o pessimismo consome energia e atrai mais negatividade para nossas vidas.

3- Sentimentos tóxicos:
Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas. Isso acontece quando a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade é gasta na manutenção de sentimentos negativos. Medo e culpa também gastam energia, e a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos, como a amizade, o amor, a confiança, o desprendimento, a solidariedade, a auto-estima, a alegria e o bom-humor recarregam as energia e dão força para empreender nossos projetos e superar os obstáculos.

4- Fugir do presente:
As energias são colocadas onde a atenção é focada. O homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis: "bons tempos aqueles!", costumam dizer. Tanto os saudosistas, que se apegam às lembranças do passado, quanto aqueles que não conseguem esquecer os traumas, colocam suas energias no passado. Por outro lado, os sonhadores ou as pessoas que vivem esperando pelo futuro, depositando nele sua felicidade e realização, deixam pouca ou nenhuma energia no presente. E é apenas no presente que podemos construir nossas vidas.

5- Falta de perdão:
Perdoar significa soltar ressentimentos, mágoas e culpas. Libertar o que aconteceu e olhar para frente. Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos, gastando menos energia ao alimentar as feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer seus caminhos livres, abertos para a felicidade. Quem não sabe perdoar os outros e si mesmo, fica "energeticamente obeso", carregando fardos passados.

6- Mentira pessoal:
Todos mentem ao longo da vida, mas para sustentar as mentiras muita energia é gasta. Somos educados para desempenhar papéis e para não para sermos nós mesmos -a mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, o mártir e o intelectual. Quando somos nós mesmos, a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço.

7- Viver a vida do outro:
Ninguém vive só e, por meio dos relacionamentos interpessoais, evoluímos e nos realizamos, mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individualidade. Esse equilíbrio nos resguarda energeticamente e nos recarrega. Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do que é recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria vida. O único prêmio, nesse caso, é a frustração

8- Bagunça e projetos inacabados:
A bagunça afeta muito as pessoas, causando confusão mental e emocional. Um truque legal quando a vida anda confusa é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa e os documentos, além de fazer uma faxina no que está sujo. À medida em que ordenamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem nossa mente e coração. Pode não resolver o problema, mas dá alívio. Não terminar as tarefas é outro "escape" de energia. Todas as vezes que você vê, por exemplo, aquela blusa de tricô que não concluiu, ela lhe "diz" inconscientemente: "você não me terminou! Você não me terminou!" Isso gasta uma energia tremenda. Ou você a termina ou livre-se dela e assuma que não vai concluir o trabalho. O importante é tomar uma atitude.
O desenvolvimento do auto-conhecimento, da disciplina e da determinação farão com que você não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas consumirão seu tempo e energia.

9 - Afastamento da natureza:
A natureza, nossa maior fonte de alimento energético, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energia. A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados em suas energias vitais.

SINTONIA
É no mundo mental que se processa a gênese de todos os trabalhos da comunhão de espírito a espírito, não obstante as possibilidades de fenômenos naturais, no campo da matéria densa... Daí procede a necessidade de renovação idealística, de estudo, de bondade operante e de fé ativa, se pretendemos conservar o contato com os Espíritos da Grande Luz.
Simbolizemos nossa mente como sendo uma pedra inicialmente burilada. Tanto quanto a do animal, pode demorar-se, por muitos séculos, na ociosidade ou na sombra, sob a crosta dificilmente permeável de hábitos nocivos ou de impulsos degradantes, mas se a expomos ao sol da experiência, aceitando os atritos, as lições, os dilaceramentos e as dificuldades do caminho por golpes abençoados do buril da vida, esforçando-nos por aperfeiçoar o conhecimento e melhorar o coração, tanto quanto a pedra burilada reflete a luz, certamente nos habilitamos a receber a influência dos grandes gênios da Sabedoria e do Amor, gloriosos expoentes da imortalidade vitoriosa, convertendo-nos em valiosos instrumentos da obra assistencial do Céu, em favor do reerguimento de nossos irmãos menos favorecidos e para a elevação de nós mesmos às regiões mais altas.
A fim de atingirmos tão alto objetivo é indispensável traçar um roteiro para a nossa organização mental, no Infinito Bem, e segui-lo sem recuar. Precisamos compreender - repetimos - que nossos pensamentos são forças, imagens, coisas e criações visíveis e tangíveis no campo espiritual. Atraímos companheiros e recursos, de conformidade com a natureza de nossas idéias, aspirações, invocações e apelos. Energia viva, o pensamento desloca, em torno de nós, forças sutis, construindo paisagens ou formas e criando centros magnéticos ou ondas, com as quais emitimos a nossa atuação ou recebemos a atuação dos outros.
Nosso êxito ou fracasso dependem da persistência ou da fé com que nos consagramos mentalmente aos objetivos que nos propormos alcançar. Semelhante lei de reciprocidade impera em todos os acontecimentos da vida. Comunicar-nos-emos com as entidades e núcleos de pensamentos, com os quais nos colocamos em sintonia. Mentes efermicas e perturbadas assimilam as correntes desordenadas do desequilíbrio, enquanto que a boa vontade e a boa intenção acumulam os valores do bem.
Ninguém está só.
Casa criatura recebe de acordo com aquilo que dá. Cada alma vive no clima espiritual que elegeu, procurando o tipo de experiência em que situa a própria felicidade. Estejamos, assim, convictos de que os nossos companheiros na Terra ou no alem são aqueles que escolhemos com as nossas solicitações interiores, mesmo porque segundo o antigo ensinamento evangélico, "teremos nosso tesouro onde colocamos o coração".
Emmanuel - Chico Xavier

Um comentário: