Um pouco sobre os símbolos do Reiki II

07:40 Escola Flor da Vida 0 Comments

Os símbolos do Reiki são formas japonesas derivadas do sânscrito e têm, pelo menos, 2500 anos. Foram concebidos psiquicamente como figuras e sons. Eles simbolizam o Caminho da Iluminação.

     Os símbolos do Reiki foram experimentados somente por 4 alunos de Mikao Usui. Foram introduzidos em 1923 e ensinados aos três oficiais navais e a um dos estudantes sobrevivente de Mikao Usui. Eles não tiveram sua origem nos rituais de energização/iniciação porque Usui ensinava seu sistema desde 1915, quando o sistema era praticado sem eles. Assim, os símbolos foram introduzidos mais tarde por Usui e por um de seus experientes estudantes, o Sr. Eguchi. Isso foi feito para benefício de alguns dos seus novos estudantes que não puderam aprender os procedimentos da meditação tradicional “kotodama” que Usui usou com seus estudantes budistas e xintoístas.

     Sendo assim, originalmente Usui não iniciava nos símbolos para criar a conexão com o Reiki. Seus estudantes apenas os recebiam e eles eram usados para representar diferentes estados de energia. Esses poucos estudantes aprendiam a se tornar a energia representada nos símbolos em vez de cantarem ou entoarem. Esse era um processo longo e as energias eram trabalhadas individualmente e não misturadas.

     No sistema de Mikao Usui, o estudante usa as energias de forma a tornar-se cada vez mais experiente com elas. Essa é a primeira fase. O estudante passa meses meditando em cada energia e experimentando, fazendo com que se incorporem a ele, tornando-se a energia.

     Com o tempo e a experiência, o estudante pode dispensar o kotodama e os símbolos e passar a trabalhar diretamente com a energia. Com o tempo, o estudante se torna a energia.

    Nos símbolos do Reiki, encontram-se os estágios do Caminho da Iluminação. Juntos, eles eliminam a dualidade mente-matéria, desintegrando o ego para alcançar os níveis mais altos ao final do Caminho da Iluminação. Quando alcança este estado, o ser se vê livre da necessidade da reencarnação.

0 comentários: